A estratificação do solo afeta a sua produtividade no plantio direto?

Olá pessoal!

Meu caro profissional das ciências agrárias. Por acaso, vocês já ouviram falar sobre estratificação química em solos do sistema plantio direto?

Como a estratificação do solo está afetando a sua produtividade no plantio direto?

Bom, caso não conheça este termo. Vou te explicar.

Estratificação é a redução acentuada do teor de nutriente em profundidade no perfil do solo.

Como ocorre a estratificação química em solos manejados no sistema plantio direto?


A estratificação química ocorre devido a aplicação superficial de fertilizantes no solo.

Quais os problemas que o sistema plantio direto (SPD) com a adoção da aplicação superficial de fertilizante/ calcário tem enfrentado?


A adoção do sistema do sistema plantio direto (SPD), sem dúvidas trouxe muitos benefícios.

Quando é recomendado a coleta de solo na camada 0-10cm sob sistema plantio direto. 

Está sendo considerado que o solo das camadas abaixo dos 10cm não apresenta restrições químicas às plantas.

Por isso, entende-se que a camada 0-10cm sob sistema plantio direto é equivalente àquele camada 0-20cm sob cultivo convencional (SANTOS et al.,2008).

O que alguns estudos mostram, com o passar dos anos após a adoção do SPD na área, a extinção da camada arável. 

Aquela camada tradicionalmente utilizada nas recomendações de análise de solo, entre 0 a 20 cm de profundidade.

A extinção da camada arável do solo deixou de ser recorrentemente homogeneizada pela aração e gradagem. E o resultado foi a estratificação químicas de nutrientes.

Assim, esses estudos mostram a formação de camadas estratificadas no perfil do solo. Sendo estas camadas variando de: 0 a 5 cm, 5 a 10 cm, 10 a 15 cm e de 15 a 20 cm.

Veja o exemplo de um solo cultivado em uma área, em que a adubação foi feita a lanço na superfície sem incorporação. 

Observe a análise de solo de acordo com as camadas estratificadas.

Tabela 1 - Análise de solo.




Fonte: Arquivos do autor.

Quero destacar alguns nutrientes dessa tabela. Vamos começar nossa análise com o P. Note que o teor de P na camada de 0 a 5 cm foi de 12,8. Enquanto que na camada de 15 a 20 cm foi de 2,2.

A diferença é muito significativa.

De acordo com a Figura 1 abaixo, a quantidade de P, na camada de 0 a 5 cm comparado a camada de 15 a 20 cm caiu em 82%.

Esse número assusta. Pois todo o nosso trabalho é para que tenhamos um perfil de solo bem construído. 

Ou seja, sem impedimento químico e físico para que a raiz da planta consiga explorar um volume maior de solo.



Gráfico - Comparação do teor de P no solo

Figura 1: Comparação do teor de P na camada de 0 a 5 cm e 15 a 20 cm.
Fonte: Arquivos do autor.

Outro nutriente que quero destacar é o K, observe que na Tabela 1 o teor de K na camada de 0 a 5 foi de 95. Enquanto que na camada de 15 a 20 cm foi de 32.

Da mesma forma que o P, a diferença foi muito significativa.



Gráfico - Comparação do teor de k no solo
Figura 2: Comparação do teor de K na camada de 0 a 5 cm e 15 a 20 cm.
Fonte: Arquivos do autor.

De acordo com a Figura 2 acima, a quantidade de K, na camada de 0 a 5 cm comparado a camada de 15 a 20 cm caiu em 66%.

Outro elemento que destaca é o cálcio que de acordo com a Tabela 1.

Observe que na camada de 0 a 5 cm o teor de Ca foi de 3,2. Enquanto que na camada de 15 a 20 cm foi de 1,1.

Na Figura 3, o Ca reduziu o teor em 65% sua quantidade na camada de 15 a 20 cm, se comparado a camada de 0 a 5 cm.


Gráfico - Comparação do teor de Ca
Figura 3: Comparação do teor de Ca na camada de 0 a 5 cm e 15 a 20 cm.
Fonte: Arquivos do autor.

E por fim, a nossa última análise é do magnésio. O teor de magnésio na camada 0 a 5 cm foi de 1,2 e na camada de 15 a 20 cm foi de 0,3.

Houve uma redução de 75% do teor de Mg na camada de na camada de 15 a 20 cm, se comparado com a camada de 0 a 5 cm Figura 4.

Em relação aos nutrientes cálcio e magnésio vimos o quanto foi reduzido em camadas mais profundas do solo.

E uma das alternativas para mitigar essa diferença dos teores de cálcio e magnésio no perfil do solo é fazendo a incorporação do calcário no solo.

Escrevi um artigo sobre isso, clique aqui.

Quer saber mais sobre essa descida do cálcio e magnésio no perfil do solo, em razão da aplicação superficial do calcário. Clique aqui, para ler a Tese de doutorado do Renato Nunes.


Gráfico - Comparação do teor de Mg
Figura 4: Comparação do teor de Mg na camada de 0 a 5 cm e 15 a 20 cm.
Fonte: Arquivos do autor.

Bom pessoal, diante de tantas informações. Fica a pergunta do título deste artigo.

Como a estratificação está afetando a sua produtividade no plantio direto?

Pode afetar nessa distribuição irregular dos nutrientes ao longo do perfil.

A camada superficial do solo é a primeira a secar quando falta água. E sem água a planta não absorve os nutrientes disponíveis mesmo com concentração maior, conforme vimos na Tabela 1.

Você profissional, consultor. Está preparado para manejar um solo que têm estas características?

Deixe sua resposta nos comentários.

Até a próxima!

Referências



GOUVEIA, R.G.L. Manejo da adubação fosfatada eficiente: posso aplicar fósforo a lanço com fonte acidulada em culturas anuais? Rogerio Gouveia. Disponível em:http://www.rogeriogouveia.com/2020/06/forma-eficiente-aplicar-fosforo-lanco-localizado.html

GOUVEIA, R.G.L. O que fazer para aumentar a eficiência do calcário? Fazer a incorporação no solo. Rogerio Gouveia. Disponível em: http://www.rogeriogouveia.com/2020/08/aumentar-eficiencia-calcario.html

Faça um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem